quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Tolerância Zero


Discussão no trânsito. De repente um dos motoristas envolvidos no acidente saca um revolver e dispara uma, duas, três vezes contra o motorista do outro veículo. Bam, bam, bam. Com certeza você já leu algo parecido em alguma página policial uma, duas, três ou mais vezes. Fatos como esse ilustram bem a situação a que chegaram as relações humanas do nosso cotidiano. A tolerância para com o próximo inexiste. Partimos para atitudes extremas.

Jogamos a culpa no estresse. Pressão no trabalho, pressão familiar e até pressão arterial. Não possuímos mais a virtude da empatia, aquela que nos coloca, mentalmente, na posição do outro antes de tomar uma atitude. A ação leva a uma reação imediata e desprovida de raciocínio. Bam, bam, bam. Tolerância zero.

O mundo está cada vez mais intolerante. As pessoas, individualistas e egoístas. Alguns de nós parecem querer distância de todos os outros, não querem ouvir opiniões, críticas e nem elogios. Não querem sentir cheiros, gostos e toques que não o próprio. Sonham em ser ilha, não um ser que vive em sociedade. Cada vez mais as atitudes do outro nos incomodam. Aumenta o tal do estresse, a pressão e... bam, bam, bam. Até quando?

Estamos descontentes com o próximo, com o mundo. Porém nada fazemos para mudar a situação. Talvez não queiramos enxergar, mas antes do próximo, do mundo, estamos nós mesmos. Somos a base desse tipo de mazela urbana, cotidiana. Portanto, além de conhecer-te, “tolera-te” a ti mesmo, antes de tudo. Ou, pelo menos, conte até dez...



PS1: Esse é mais um texto da cadeira de Redação Jornalística III. Vou aproveitá-los para alimentar o blog.

PS2: "Alimentar o blog". Isso me lembrou dos tamagochis.

PS3: Alguém ainda tem um desses "bichos"???




Foto: Google Images

2 comentários:

°MaH disse...

a última vez que tive notícia de um foi qndo uma amiga me fez ir com ela até o camelô comprar o ditocujo. Acho que fazem uns 7 anos. Tive vontade de mandar um bam, bam, bam, mas fui...bem produtiva tua aula amigo! beijos!

Ci disse...

é mais fácil ignorar os problemas dos outros e ser intolerante com o mundo todo. Mas na hora que a intolerância nos atinge não gostamos. O ser humano é egoísta por natureza, Lipe. Ele só vive em sociedade porque não consegue resolver tudo sozinho. a diferença é que, enquanto alguns se esforçam para viver em harmonia, sempre tem alguns idiotas que acham que são os donos do universo, e que não precisam olhar pro lado.